Casar ou não casar? Eis a questão!

Reflita sobre a importância de um relacionamento profundo e sincero na vida das pessoas. Perceba como é bom viajar, ir ao cinema, ir ao parque tomar sorvete, preparar um jantar especial, dividindo com outra pessoa toda a beleza e a surpresa da experiência.

Atualmente está comum escutar mulheres dizerem que nem pensam em casamento; pois não querem abrir mão da carreira e da liberdade de tocar suas vidas sem prestar contas a ninguém dos seus atos.

Infelizmente é comum ver casamentos se desfazerem em menos de um ano, e ainda da pior maneira, com brigas de divisão de patrimônio. É triste quando as pessoas se separam por causa da intervenção constante de parentes, pelo gênio “forte” de um ou dos dois ou pelo aparecimento de uma terceira pessoa. Triste quando marido e mulher crescem em direções opostas e se separam por não terem mais o que se dizer.

Desfazer um casamento é sempre um transtorno e ninguém se separa sem sofrimento. Mesmo que a separação represente um alívio diante de uma situação insustentável, fica a amargura e angustia pelo tempo investido na relação.  E casamento não é somente as uniões formais, mas todo o tipo de união estável.

Se seguirmos o raciocínio de que é o casamento que estraga a vida das pessoas, seriam então felizes “integralmente” todos aqueles que não têm “amarras”, que não precisam dividir nada, que não devem satisfação pra ninguém, entretanto é assim mesmo?

NÃO. Ao contrário, se não é o casamento por si só que faz as pessoas felizes, ele faz das pessoas, já felizes, serem ainda mais felizes!

Pense como é bom poder dividir alegrias ou problemas, com a pessoa que se ama e se conhece integralmente. Gargalhar ao seu lado, sem medo de parecer ridícula ou chorar nos braços da pessoa amada pelo gostinho de ser consolada.

Ter alguém que você ama ao seu lado é umas das melhores sensações do mundo

Pense como é bom ir ao cinema, ir viajar e dividir com o outro toda a beleza e a surpresa da experiência.

Pense como é bom ao sair mais cedo do trabalho – homem ou mulher – preparar e curtir um jantar especial com direito a brinde, flor e vela. E poder curtir com esse alguém a praia e a lareira; fazer com ele filhos que vão espelhar, no rosto e no jeito de ser os traços de quem amamos e os nossos.

Por tudo isso e muito mais, é BOM CASAR, é muito bom casar!

Casar sem perder a individualidade, sem submissão, sem sacrifício, sem anulação, mas que caminham para um mesmo propósito.

Casar pela vontade de estar juntos, mesmo com os contratempos, dúvidas, inquietações que faz parte de qualquer ser humano.

Casar é quanto duas pessoas diferentes, imperfeitas se completam, se respeitam, se admiram, tem sonhos, choram, se perdoam, confia um no outro e querem estar sempre ao lado do outro!

É importante meditarmos sobre a importância de relacionamentos profundos na vida das pessoas.

E aí casar ou não casar? Eis a questão que a resposta está em seu coração!

Comentários no Facebook